Tag: Ouro Preto

Brasileiro Henrique Avancini e colombiana Laura Valentina são campeões do XCO em Ouro Preto

Segundo lugar ficou para colombiano Fabio Castañedo e Letícia Cândido. Prova aconteceu neste domingo (10)

Os atletas da SuperElite fizeram de Ouro Preto o palco para o espetáculo do Cross Country Olímpico. Abrindo o Ciclo Olímpico, Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing) e Laura Valentina Abril (Seleccion Colombia Mtb) levaram a melhor e somaram 60 pontos no ranking da União Ciclística Internional (UCI). A prova aconteceu neste domingo (10) em Ouro Preto. No Masculino, o colombiano Fabio Hernando Castañedo (Seleccion Colombia Mtb) e Luiz Henrique Cocuzzi (Lar – Scott – Mauro Ribeiro) completaram o segundo e o terceiro lugar. No feminino, a vice-campeã foi a atleta Letícia Cândido (Audax FSA) em terceiro lugar ficou Viviane Favery (Cannondale Brasil Racing).

‘Foi uma prova bastante sofrida’, disse Avancini (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

Henrique Avancini e Luiz Henrique Cocuzzi se mantiveram juntos durante boa parte da prova. A partir da terceira volta, Avancini ultrapassou e conseguiu abrir uma vantagem. “O Cocuzzi anda muito on-off, acelerando e desacelerando. E nesse circuito é difícil andar assim. Na primeira volta eu nem consegui segurar o ritmo dele. Tentei seguir, mas eu vi que na parte final seria um pouco demais para mim. Ele acabou abrindo um tempo considerável. Na segunda volta eu consegui me reconectar, e a partir da terceira eu comecei a trabalhar ele aos poucos. Na quarta, eu sabia que já teria um peso da prova nas minhas pernas e dele também, e aí teoricamente foi onde eu consegui fazer mais diferença. E foi bom, eu fiquei feliz, foi uma prova bastante sofrida, não me senti tão bem mas consegui entregar uma boa performance”, disse.

Após a passagem de Avancini, Cocuzzi se manteve em segundo lugar. Porém, o colombiano Fabio Castañedo veio forte e conquistou o vice-campeonato. “Muito contente de representar nosso país numa corrida tão dura, com o nível tão forte. Viemos dos Jogos Sul Americanos, uma viagem grande, tivemos problemas com as bagagens, tudo isso é um incomodo. Mas é uma pista muito bonita, a logística é incrível, uma pista muito dura e muito técnica, com pedras soltas. Avancini e Cocuzzi lutaram bem nas duas primeiras voltas e aos poucos fui me recuperando e nunca perdendo eles de vista. O Cocuzzi se manteve na frente, mas em um certo momento consegui alcança-lo e fechar com o vice-campeão”, comentou o colombiano.

Elite Feminina
A atleta colombiana Laura Valentina se manteve na primeira colocação durante toda a prova. “A princípio o objetivo era correr na ponta, porque eu sabia que era uma pista muito dura e técnica e estar a frente me daria uma vantagem caso eu cometesse algum erro. Mas foi uma competição difícil, terminamos de correr o Sul Americano na semana passada e a viagem foi muito complicada. Fiquei muito feliz com a pista de XCO daqui. Uma pista comparável a uma Copa do Mundo. Muito técnica, exigente que é necessário trabalhar todo o corpo”, explicou.

Colombiana levou a melhor no feminino (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

A vice-campeã, Letícia Cândido, disse que ficou satisfeita com o rendimento dela na prova. “Eu sabia que as colombianas viriam fortes, então, eu me preparei muito bem para essa prova, desenhei bastante as minhas linhas e acho que a técnica também me favoreceu bem. Eu consegui manter um bom ritmo e na quarta volta, eu senti um pouquinho. Mas eu acho que aqui realmente foi a única prova, a única pista que comparou com o nível internacional. Uma prova muito dura, muito técnica, e é isso mesmo que tem que ter pra gente melhorar o auto nível. Além disso, as estrangeiras vieram fortes, e isso é muito bom. É uma oportunidade de perceber o que precisamos trabalhar”, finalizou.

Confira o resultado da Super Elite Masculina
1. Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing) 1:25:18
2. Fabio Hernando Castanedo (Seleccion Colombia Mtb) 1:25:28
3. Luiz Henrique Cocuzzi (Lar – Scott – Mauro Ribeiro) 1:26:28
4. Guilherme Gotardelo Muller (Sense Factory Racing) 1:28:12
5. Rubens Donizete Valeriano (Equipe Sense Factory Racing) 1:28:30
6. Sherman Trezza De Paiva (Cannondale Brasil Racing) 1:28:34
7. Lukas Kaufmann (Cannondale Brasil Racing) 1:28:43
8. Juan Fernando Monroy Ce (Seleccion Colombia Mtb) 1:29:04
9. Mario Couto Grego Santo / Sub-23 (Equipe Sense Factory) 1:30:40
10. Jose Gabriel Marques (Groove / Chayoang / Shi Elite Masc) 1:31:31

Confira o resultado da Super Elite Feminina
1. Laura Valentina Abril R (Seleccion Colombia Mtb) 1:27:12
2. Leticia Jaqueline Soares (Audax Fsa) 1:29:05
3. Viviane Favery Costa (Cannondale Brasil Racing) 1:35:28
4. Leidy Johana Mera Caden (Seleccion Colombia Mtb) 1:37:38
5. Hercilia Najara Ferreira (Ciclovia Team / Seja Bike) 1:37:47
6. Isabella Gonçalves Ribeiro (Specialized Racing Br) 1:38:05
7. Karen Olimpio (Squadra/Oggi) 1:41:01
8. Maria Paula Mesquita (Ro Clinica Da Circulação) 1:45:20
9. Danielle Maria De Moraes (Caloi Avancini Team) 1:47:12
10. Ana Maria Roa Munoz (Biking Vilage Team) 1:47:50

CIMTB Levorin
A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.

Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.

Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais. Lá você encontrará fotos e vídeos dos atletas e das provas.

 

Chile e Colômbia sobem nos lugares mais altos do pódio da UCI Junior Series, em Ouro Preto

Prova aconteceu neste domingo (10). Bicampeão e vice-campeã Pan-Americana ficaram com a primeira colocação.

Os atletas da categoria júnior andaram forte na segunda etapa da Copa Internacional Levorin de Mountain (CIMTB Levorin). Os competidores pedalaram o Cross Country Olímpico (XCO), pela UCI Junior Series, neste domingo (10). O chileno e bicampeão Panamericano Martin Vidaurre (Vidaurre Bikes) e a colombiana Angie Milena (Seleccio Colombia Mtb) levaram a melhor na categoria. No masculino, o vice-campeão foi Gustavo Xavier De Olive (Audax Fsa/Obc) e o terceiro colocado Thiago Freitas Souza (Seven Racing/Seven Bike). No feminino, Marcela Lima (Groove/Chaoyang/Shimano/ASW) e Bruna Saalfeld Elias (Specialized Racing Br).

Chileno, Martin Vidaurre, conquistou a primeira colocação no Júnior (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

Martin Vidaurre e Gustavo Xavier cruzaram a primeira volta juntos. A disputa foi grande e na segunda, o chileno conseguiu abrir uma diferença do atleta brasileiro. Vidaurre apertou o pedal e se manteve na frente durante toda a competição, finalizando com quase dois minutos de diferença. “Foi tudo muito forte. Eu não pensei que seria assim, pensei que iria sair mais tranquilo, mas o Gustavo andou forte na primeira volta. Depois, consegui manter o ritmo e abri uma vantagem”, comentou Vidaurre.

O competidor Gustavo Xavier, gostou do resultado. O atleta foi campeão na etapa de Araxá e estreou na categoria Júnior este ano. “Foi uma competição muito dura para mim, obtive um bom resultado. Atrás de, nada mais nada menos, que o bicampeão Pan-americano Junior, o Martin Vidaurre. Eu gostei muito da pista, as pedras soltas deixaram a pista ainda mais técnica, mas eu coloquei em prática tudo o que eu sabia e graças a Deus deu tudo certo. Estou muito feliz com a segunda colocação”, disse Gustavo.

Júnior Feminina
No feminino, Angie conseguiu abrir uma pequena vantagem já na primeira volta. Na segunda, Marcela Lima teve um problema no equipamento, e a colombiana aumentou a distância. Foram mais duas voltas para que Angie finalizasse a competição com mais de quatro minutos de diferença em relação segunda colocada. “Estou muito contente com a minha primeira participação. Essa é uma pista técnica, bem extensa, mas estou muito contente em representar meu país. A pista é muito dura e bem diferente da Colômbia”, comentou.

Colombiana Angie terminou prova com grande vantagem (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

Para Marcela, a prova foi especial, já que é moradora de Itabirito, cidade vizinha à Ouro Preto. “Não sei nem descrever a felicidade que eu estou em poder competir em casa. E essa pista é super bacana, uma pista que eu me encaixei e junto com essa torcida, minha família me apoiando, e toda essa estrutura da prova que pode oferecer ao atleta ótimas condições para dar a sua melhor performance”, finalizou.

Confira os dez primeiros colocados da Júnior Masculina
1. Martin Vidaurre (Vidaurre Bikes)
2. Gustavo Xavier De Oliveira (Audax Fsa/Obc)
3. Thiago Freitas Souza (Seven Racing/Seven Bike)
4. Ignacio Gallo (Scott Chile)
5. Ygor Oliveira Fernandes (Loucos Por Trilhas)
6. Danilo Antonio Carvalho (Bike Point Fmce Içara)
7. Bruno Mendes Guimaraes (Caldas Pisos Team)
8. Andre Jun Aikawa (Audax Fsa)
9. Daniel Felipe Diaz Marr
10. Antonio Henrique Candido

Confira os dez primeiros colocados da Júnior Feminina
1. Angie Milena Lara Zarazo (Seleccio Colombia Mtb) – 1:14:55
2. Marcela Lima (Groove/Chaoyang/Shimano/Asw) – 1:19:17
3. Bruna Saalfeld Elias (Specialized Racing Br) – 1:21:16
4. Laurien Miranda Barbosa (Isa Team Mtb) – 1:24:54
5. Vitoria Xavier Claudino (Soul Cycle) – 1:26:36
6. Julia Gabrielle Alves (Isa Team Mtb) – 1:28:43
7. Bruna Diniz Ferreira – 1:37:12
8. Leticia Coura (Seven Racing) – 1:38:30
9. Nayra Machado Borba (Gil Motobikes) – 1:40:52
10. Tamires De Assis Cecote (Alto Rendimento) – 1:44:56

CIMTB Levorin
A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.

Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.

Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais. Lá você encontrará fotos e vídeos dos atletas e das provas.

Atleta Robson Ferreira é campeão do Desafio Audax Cyclocross na CIMTB Levorin em Ouro Preto

Competição aconteceu neste domingo (10). Campeão disse que é fã da modalidade.

O Desafio Audax Cyclocross levou os atletas a testarem as habilidades na 2º etapa da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike (CIMTB Levorin). O evento aconteceu neste domingo (10) e quem levou a melhor foi o atleta Robson Ferreira (Soul Cycles). Ele contou que sempre foi fã da modalidade e que esta é uma oportunidade de potencializar o Cyclocross.

Robson foi o campeão do Desafio Audax Cyclocross (Foto: Thiago Lemos/CIMTB Levorin)

O campeão levou uma medalha especial do Desafio Audax e uma Bike Bag da Audax. “Sempre acompanhei em revistas e redes sociais, mas nunca tive a oportunidade de correr. Eu corri em Araxá a primeira e fiquei em 4º e aqui melhorei minha marca e conquistei o primeiro luar. É bem legal, uma modalidade nova, com novas oportunidades no mercado”, comentou.

Robson disse que escolheu competir com uma Gravel . “É uma bike entre a Speed e a CycloCross. Para passar nos obstáculos ela é um pouco mais difícil. Como aqui no Brasil a pavimentação não é tão legal, essa bike oferece uma alternativa melhor”, disse.

Prova
A competição da Cyclocross da CIMTB Levorin aconteceu em uma pista de cerca de 2 km. Os atletas pedalaram durante 15 minutos e deram mais uma volta para concluir o percurso. Composto de tábuas de madeira e escadas, os atletas tem que ter agilidade para descer da bike e carrega-la entre os obstáculos.
Confira o resultado completo do Desafio Cyclo Cross

CIMTB Levorin
A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.

Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.

Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais. Lá você encontrará fotos e vídeos dos atletas e das provas.

Debaixo das nuvens, atletas da Copa Sense Bike pedalam na CIMTB Levorin em Ouro Preto

Competição aconteceu neste sábado (9). Prova foi dividida em duas largadas. 

Giuliana foi a mulher mais rápida da Copa Sense Bike (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

O frio não intimidou os atletas que participaram da Copa Sense Bike na Etapa de Ouro Preto. A prova aconteceu sobre neblina na tarde desta desta vez foi dividida em duas largadas. A primeira largada englobou as categorias Sub19, Sub35, Sub45, Over45, Peso Pesado, Expert, Cadete e Master. A segunda, Expert, Cadete e Master. A Copa Sense Bike contou com cerca de 250 competidores. A competição aconteceu na tarde deste sábado (9), no campus Morro do Cruzeiro, na Ufop.

Dentre os destaques, está a atleta Giuliana Mogen (Sense Factory Racing) na categoria Sub-19. A atleta completou a prova, de duas voltas na pista de Cross Country Olímpico (XCO) com 45mins36segs. A atleta de 14 anos foi a terceira a cruzar a linha de chegada na Copa Sense Bike e a mulher mais rápida da competição. Ela chegou com mais de dois minutos de diferença da segunda colocada, Luiza Cocuzzi (Lar – Scott – Mauro Ribeiro). “Gostei muito da pista, ela é bastante técnica e bem dura, do jeito que eu gosto. Quero manter forte no campeonato para levar a melhor no geral na última etapa da CIMTB Levorin”, comentou.

Confira o resultado completo da Copa Sense Bike. 

Atividades
Além das competições, o evento traz uma feira do seguimento com os principais lançamentos do mountain bike e uma pista de Teste Ride para que público e atletas possam testar os últimos lançamentos. Bicicletas para Ciclocross, bikes elétricas com pedal assistido, modelos 2018 são algumas das atrações que poderão ser encontradas para teste. Para isso, é necessário apenas levar o capacete e apertar o pedal para aprovar as bicicletas que estarão à disposição do público no evento.

Prova aconteceu sobre neblina (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

AO VIVO MTB90
A segunda etapa da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike (CIMTB Levorin) será a primeira prova no Brasil a contar pontos para o ciclo Olímpico de Tokyo 2020. O evento acontece entre os dias 8 e 10 de junho em Ouro Preto e receberá os principais atletas brasileiros. A competição tem a cobertura oficial do MTB90 que irá entrevistar competidores, transmitir e comentar as provas, tudo isso ao vivo com estrutura personalizada montada na area do evento. Além disso, premiará o Flying Lap, os atletas mais rápidos de toda competição em cada dia, com R$ 500, independente da categoria. Acesse aqui.

CIMTB Levorin
A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.

Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.

Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais. Lá você encontrará fotos e vídeos dos atletas e das provas.

 

 

Letícia Cândido e Henrique Avancini lideram XCC e levam a melhor em Ouro Preto na CIMTB Levorin

Short Track aconteceu neste sábado (9). Prova foi a primeira a contar pontos para o Ciclo Olímpico Tokyo 2020.

Os atletas da Super Elite pedalaram sobre as nuvens no Short Track na segunda etapa da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike (CIMTB Levorin). Letícia Cândido (Audax FSA) e Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing) levaram a melhor na primeira prova que soma pontos para o Ciclo Olímpico Tokyo 2020. A competição aconteceu em Ouro Preto, neste sábado (9). Completaram o pódio do Feminino a atleta Sub-23 Karen Olimpio (Squadra/Oggi) e Viviane Favery (Cannondale Brasil Racing). No Masculino, o Sprint Final levou o público ao delírio e José Gabriel (Team Groove XCO) conquistou o vice-campeonato seguido de Guilheme Muller (Sense Factory Racing). Confira o resultado completo. 

Henrique Avancini conquistou o XCC (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

Com menos de 2 km, a prova de Short Track é caracterizada como rápida e explosiva, já que o competidor pedala 25 minutos mais duas voltas para concluir o percurso. O favorito para a prova já que atualmente está em 3º colocação no ranking da União Ciclística Internacional, Henrique Avancini, ocupou o lugar mais alto do pódio.  “A primeira volta eu não estava controlando muito, eu estava sofrendo bastante. Esperava que o começo fosse ser pesado e depois eu consegui encaixar em um bom ataque por cima. O José Gabriel reagiu bem, mas é um circuito bastante seletivo e foi uma boa mostra de como vai ser a prova de XCO. A pista é muito difícil, exige bastante concentração mas é um mountain bike bem legal. Estou feliz com a vitória, afinal conseguir um bom resultado depois de uma sequência de competições internacionais é gratificante”, comentou.

José Gabriel e Guilherme Muller lutaram pelo vice no Sprint Final (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

A segunda colocação ficou para José Gabriel que está estreando na Elite este ano. Ele conquistou o vice-campeonato no XCC na subida do Sprint Final com Guilherme Muller. A briga levou o público ao delírio. “Vim pra cá para o tudo ou nada porque este é o meu primeiro ano de Elite e qualquer coisa que acontecer pra mim é lucro já que ainda estou em adaptação. Larguei e vi que eu estava bem e tentei ir com o Henrique, mas ele usou a cabeça, ele fez um ataque em cima de outro e eu vi que não tinha perna pra ir com ele. Depois, vi o Guilherme vindo atrás. Deixei para o final, me posicionei bem, e vim para o Sprint que é uma característica minha, já que eu vim do bicicross. Ganhei por milésimos e estou bem feliz”, disse.

Elite Feminina
Letícia Cândido iniciou a prova com força e conseguiu abrir uma vantagem de mais de dois minutos em relação a segunda colocada. A competidora explicou que não era a estratégia, mas que as circunstâncias levaram a este resultado. “Eu credito que a vantagem que abri foi devido a minha adaptação neste tipo de terreno, já que eu moro em uma cidade do lado (Ouro Branco), eu já tinha corrido uma prova aqui e treinei durante a semana. Minha estratégia de prova era outra mas as circunstâncias desde a primeira volta me deram isso, porque eu consegui largar na frente e fui abrindo aos poucos”, comentou Letícia.

Letícia Cândido foi a campeã no Short Track, prova aconteceu sobre neblina (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

Por outro lado, Karen Olímpio estreou em Ouro Preto. A atleta que é Sub-23 disse que amanheceu com o pensamento de lutar pelo melhor resultado e ficou feliz com o vice-campeonato. “Eu acordei com o pensamento de fazer uma ótima prova. Larguei para vencer, mas sair com a segunda colocação é um ótimo resultado. Foi uma prova explosiva que você está o tempo todo com o batimento alto e é preciso manter a concentração para não errar neste circuito que tem muitas pedras”, concluiu.

Confira os cinco primeiros colocados da Elite Masculina:
1. Henrique da Silva Avancini (Cannondale Factory Racing) – 0:33:52
2. José Gabriel Marques (Groove / Chayoang / Shimano) – 0:34:36
3. Guilherme Gotardelo Muller (Sense Factory Racing) – 0:34:36
4. Rubens Donizete Valeriano (Sense Factory Racing) – 0:34:38
5. Mario Couto Grego Santos – Sub-23 (Sense Factory Racing) – 0:34:41

Confira os cinco primeiros colocados da Elite Femina:
1. Leticia Jaqueline Soares Cândido (Audax Fsa) – 0:33:48
2. Karen Olimpio – Sub23 – (Squadra/Oggi) – 0:36:11
3. Viviane Favery Costa (Cannondale Brasil Racing) – 0:36:21
4. Hercilia Najara Ferreira (Ciclovia Team / Seja Bike)
5. Isabella Gonçalves Ribeiro (Specialized Racing Br)

CIMTB Levorin
A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.

Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.

Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais. Lá você encontrará fotos e vídeos dos atletas e das provas.

 

1º prova no Brasil do Ciclo de Tóquio, CIMTB Levorin reúne principais atletas nacionais de MTB

Etapa acontece entre os dias 8 e 10 de junho.  Prova será a primeira no Brasil a contar pontos para o ranking Olímpico de mountain bike

Prova soma pontos para Ciclo Olímpico Tokyo 2020 (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

A maior competição de mountain bike das Américas está prestes a começar em Ouro Preto no Campus Morro do Cruzeiro, na UFOP. A Copa Internacional Levorin de Mountain Bike (CIMTB Levorin) começa nesta sexta-feira (8) cm treino oficial e reúne quase 600 atletas, incluindo competidores olímpicos e diversos atletas latinos.

Dentre os competidores da SuperElite Masculina, destaque para Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing), atualmente no 3º lugar no ranking mundial, Luiz Henrique Cocuzzi (Lar – Scott – Mauro Ribeiro), Sherman Trazza (Cannondale Brasil Racing), Guilherme Gotardelo Muller (Sense Factory Rancing), Rubens Valeriano (Sense Factory Racing), Daniel Carneiro (Audax FSA). Na Super Elite Feminina a briga será grande entre Letícia Cândido (Audax FSA), Viviane Favery (Cannondale Brasil Racing), Laura Valentina (Selección Colombia MTB), dentre outras. Acesse aqui o Start List Ouro Preto 2018.

A pista de XCO, com 5.7 km, é dura e técnica. O terreno com pedras soltas deixa o percurso mais desafiador. As competições são abertas com o Short Track da Super Elite às 9h. Além das provas oficiais, a Copa Sense Bike leva os atletas amadores a colocarem em prática a técnica do mtb. O Desafio Audax Cyclocross Gravel acontecerá pela segunda vez no evento e os competidores terão que pedalar, correr e pular obstáculos na pista de cerca de 2 km. As E-bikes também levantarão poeira na UFOP.

Para o organizador do evento, Rogério Bernardes, levar uma das etapas para Ouro Preto será como voltar às origens do mountain bike brasileiro. “Vamos resgatar toda a história e o potencial da cidade em suas intermináveis montanhas desafiadoras e ter ao lado um dos principais focos da história e cultura do Brasil e de Minas Gerais, um museu a céu aberto e Patrimônio Cultural da Humanidade. É uma etapa imperdível para aos amantes do mountain bike”, comentou.

Flying Lap será premiado em Ouro Preto pelo MTB 90 (Foto: MTB90 / Divulgação)

Atividades
Além das competições, o evento traz uma feira do seguimento com os principais lançamentos do mountain bike e uma pista de Teste Ride para que público e atletas possam testar os últimos lançamentos.

Ainda no viés esportivo, na sexta-feira (8) palestras irão acontecer no Auditório de Blocos de Sala. O médico cardiologista, responsável pelo canal no Youtube Segredos do Mountain Bike, irá ministrar a palestra com o tema ‘Realidades sobre treino e performance na prática do Mountain Bike’. Também ministra a palestra ‘O Uso da Tecnologia no Treinamento de Endurance’ o preparador físico do TreineBR, Thiago Faria. Finalizando o ciclo, o Bacharel em Educação Física e coordenador da Alto Rendimento Assessoria Esportiva, Leandro do Carmo, fala sobre o ‘Modelo combativo da performance esportiva’.

AO VIVO MTB90
A segunda etapa da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike (CIMTB Levorin) será a primeira prova no Brasil a contar pontos para o ciclo Olímpico de Tokyo 2020. O evento acontece entre os dias 8 e 10 de junho em Ouro Preto e receberá os principais atletas brasileiros. A competição tem a cobertura oficial do MTB90 que irá entrevistar competidores, transmitir e comentar as provas, tudo isso ao vivo com estrutura personalizada montada na area do evento. Além disso, premiará o Flying Lap, os atletas mais rápidos de toda competição em cada dia, com R$ 500, independente da categoria. Acesse aqui.

CIMTB Levorin
A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.

Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.

Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais. Lá você encontrará fotos e vídeos dos atletas e das provas.

MTB90 transmitirá provas da 2º etapa da CIMTB Levorin ao vivo

Etapa acontece a partir desta sexta-feira (8). Prova é a primeira no Brasil a contar pontos para o ranking olímpico, Tokyo 2020

A segunda etapa da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike (CIMTB Levorin) será a primeira prova no Brasil a contar pontos para o ciclo Olímpico de Tokyo 2020. O evento acontece entre os dias 8 e 10 de junho em Ouro Preto e receberá os principais atletas brasileiros. A competição tem a cobertura oficial do MTB90 que irá entrevistar competidores, transmitir e comentar as provas, tudo isso ao vivo com estrutura personalizada montada na area do evento. Além disso, premiará o Flying Lap, os atletas mais rápidos de toda competição em cada dia, com R$ 500, independente da categoria. Acesse aqui.

Flying Lap será premiado em Ouro Preto pelo MTB 90 (Foto: MTB90 / Divulgação)

Nesta sexta-feira, terá treino oficial e os atletas reconhecerão a pista. No MTB90 você poderá conferir os trechos da pista e entrevistas com os atletas, técnicos e organizador da CIMTB Levorin. No sábado, começa a competição com o Short Track da Super Elite às 9h, sendo que haverá quatro largadas durante todo o dia, incluindo categorias amadoras. No domingo, a programação começa com largada às 8h, sendo que o XCO da SuperElite larga às 14h.

“A transmissão da primeira etapa da CIMTB em Araxá foi um sucesso durante os três dias de evento. Para Ouro Preto nos preparamos ainda mais e a expectativa é enorme em oferecer uma cobertura diferenciada e especializada para o mountain bike nacional”, contou Bob Nogueira, diretor do MTB90.

CIMTB Levorin 2018
A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.

Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.

Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais. Lá você encontrará fotos e vídeos dos atletas e das provas.

 

Cyclocross: entenda o equipamento e o treinamento da modalidade

Desafio Audax Cyclocross acontece na CIMTB Levorin entre os dias 8 e 10 de junho. Cyclocross mistura dois mundos: o Speed e o MTB

Geometria de CX reúne dois mundo: mtb e speed (Foto: Audax Bike / Divulgação)

Este ano, a CIMTB Levorin iniciou com mais uma opção, o Desafio Audax Cyclocross (CX) que vai acontecer em Ouro Preto, no domingo às 11h. A modalidade vem crescendo no Brasil e existem muitas dúvidas neste universo que mistura dois mundos: o Speed e o MTB. Em entrevista, o engenheiro responsável pelo Desenvolvimento de Produtos da Audax, Luiz Kuhlmann, comentou que apesar da bike CX se parecer uma Speed, existem muitas diferenças, mas a CX reúne o melhor dos dois mundos, sendo uma ótima bike para quem precisa de versatilidade.

O engenheiro comentou que apesar da semelhança visual com uma bike Speed, as diferenças em relação à CX incluem pneus, quadros, freios e transmissão. “Os pneus da CX tem cravos e são maiores que os de Road. Os quadros tem uma geometria relaxada e mais ‘quadrada’ e há a necessidade de se deixar espaço dentro do triângulo dianteiro para que ela seja carregada nos ombros, por isso o tubo superior fica mais alto do que em uma Road com o mesmo comprimento de tubo superior. Além disso, o movimento central da CX é mais alto para facilitar a transposição de obstáculos e os freios são à disco ou Cantilever (para evitar o acúmulo de barro), os da Road são do tipo Side Pull ou à disco. A transmissão é mais leve, mas não apta para longas escaladas como em algumas Road”, explicou.

O percurso de Cyclocross tem vários obstáculos e, de acordo com Kuhlmann o peso varia de acordo com o material. Segundo ele, pode variar entre 8 kg (carbono) e 11 kg (alumínio). O engenheiro também esclareceu que “a geometria da CX e da MTB são muito diferentes, mas uma CX reúne o melhor dos dois mundos”, disse.

O engenheiro comentou ainda sobre as tradicionais competições de CX, mais populares na Europa. “Por ser uma modalidade em que as competições acontecem em circuito fechado, menores que os de MTB, as baterias não passam de uma hora e é muito fácil organizar corridas e torneios. Os eventos são uma grande festa, com tendas de bebida e comida, exposição de produtos, etc. Então quem não está competindo tem opções de diversão e lazer. Os atletas podem levar os familiares que vão estar bem próximos do circuito para torcer e incentivar. Por isso o Cyclocross tem um grande número de adeptos na Europa e está crescendo muito nos EUA”, finalizou.

Prova é curta e explosiva (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

Treinamento
O treinador de um dos atletas Audax FSA, Thiago Faria dos Santos contou em entrevista um pouco do preparo para esta modalidade. Treinador e Preparador Físico da TreineBr.com.br falou das particularidades do treinamento e como a modalidade para agregar para os praticantes de mountain bike. Confira abaixo:

– Quais as particularidades de um treinamento de CX?
Apesar do Cyclocross ter surgido do ciclismo de estrada, principalmente no gelado inverno europeu, as diferenças entre as duas modalidades são muito grandes. Podemos citar como as principais diferenças o tempo de duração das provas, tipo de esforço, tipo de terreno e obstáculos presentes no percurso, o que exige do atleta características físicas e técnicas bem especificas.

O tempo mais curto de prova e intensidade muito elevado do esforço, exige que o atleta seja mais potente e tenha uma maior tolerância à acidose metabólica gerada pela maior utilização do metabolismo anaeróbio láctico, ou seja, o atleta precisa suportar as pernas “queimarem” por mais tempo, sem “travar”.

Do ponto de vista técnico, as provas de Cyclocross costumam ter grandes escadarias, com degraus espaçados, troncos, ou grandes obstáculos, sendo impossível transpor sem que o atleta desça da sua bicicleta. Com isso, é muito comum os atletas terem de correr a pé empurrando a bike, ou carregando a mesma nos ombro, além de ter de subir e descer várias vezes, sendo necessários que essa habilidade seja muito bem treinada pelo atleta.

Além dos obstáculos citados acima, o terreno costuma ter muita lama, areia e subidas com grau de inclinação muito elevados, sendo também de grande dificuldade para que o atleta transponha sem precisar descer da sua bike. O que exige mais uma vez que o atleta tenha uma boa habilidade de descer, corre e subir na bike de volta.

Atleta deve ter precisão ao subir e descer da bike (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

– É diferente um treino CX e mountain bike? Explique.
Temos algumas semelhanças entre o MTB e o Cyclocross, mais semelhanças do que com o ciclismo de estrada, porém acredito que as diferenças ainda são muito grandes.

Como já comentado anteriormente, o tempo de prova é bem menor, e a intensidade muito elevada o tempo todo, isso faz com que a necessidade do metabolismo anaeróbio lático e aláticos sejam muito bem desenvolvidas. Mesmo sabendo que essas vias metabólicas são também importantes no MTB XCO, no Cyclocross elas são ainda mais importantes. Treinos intervalados de curta duração e também com recuperação curtas, são muito fundamentais para evolução do desempenho nessa modalidade.

Como grande parte do percurso o atleta passa empurrando a bike, ou carregando-a nos ombros, treinar corrida a pé, transportando a bike, deve estar presente no dia-a-dia de treinos desse atleta, assim com a corrida em escadas, e morro de grau de inclinação muito elevado. No MTB, é possível que, dependendo do tipo de percurso que o atleta enfrentará, trabalhar a corrida a pé e também transportando a bike é importante, porém muito menos importante do que no Cyclocross.

Os treinos de reforço muscular também diferenciam muito do MTB, no Cyclocross, por ter uma boa parte de prova onde o atleta corre, é importante reforçar de forma especifica a musculatura envolvida na corrida. Um ponto importante do reforço muscular para corrida é trabalhar a contração de alguns músculos excêntrica (fase de descida no agachamento por exemplo, é um momento onde  a contração é predominantemente excêntrica), como tibial-anterior, quadríceps e ísquios-tibiais. Treinamento como saltos pliométricos, são excelentes para isso. No MTB, maior parte da força gerada pelo atleta, se não toda ela, vem da concentração concêntrica desses músculos, ou seja apesar dos mesmos músculos estarem envolvidos no movimento, o tipo de contração em cada uma das modalidades é diferente.

– Porque o Cyclocross pode ser um complemento para o treino de mountain bike e vice-versa?
Visto as diferenças citadas acima, o uso do Cyclocross como treinamento para o MTB, deve ser usado com certa cautela, assim com o treinamento de MTB visando benefícios para o Cyclocross também. A utilização de um com o objetivo de ajudar o outro, desrespeita o princípio da ESPECIFICIDADE DO TREINAMENTO, o que é muito importante, principalmente para atletas de alto rendimento. No entanto em período de meio ou final de base, o Cyclocross pode ser usado para os atletas de MTB, visando variar um pouco a pratica, se tornado algo que possa motivar o atleta. Já o MTB pode ser usado no treinamento do Cyclocross, no início, até meio de base, a fim de aumentar as resistência e capacidade aeróbia do atleta.

No caso de atletas amadores, ambas modalidades podem ajudar uma a outra, pois o efeito da falta de especificidade no treinamento é menor, sendo assim o uso de uma modalidade para melhorar a outra pode ser usada com mais frequência.

CIMTB Levorin
A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.

Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.

Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais. Lá você encontrará fotos e vídeos dos atletas e das provas.

Confira o Start List das provas da etapa de Ouro Preto

Evento acontece entre os dias 8 e 10 de junho em Ouro Preto. Start List defini a ordem de largada da categoria Júnior e Super Elite. 

O Start List da CIMTB Levorin está disponível. A lista é feita a partir dos pontos do atleta no ranking da União Ciclística Internacional e é utilizada na ordem de largada das provas de Short Track e Cross Country Olímpico da Super Elite e Júnior. O evento acontece entre os dias 8 e 10 de junho em Ouro Preto, no Campus Morro do Cruzeiro, na UFOP. É importante que o atleta confira os dados e caso tenha alguma dúvida, envie um e-mail para info@cimtb.com.br. Acesse aqui o Start List Ouro Preto 2018.

A prova de XCC será no sábado, com largada às 9h para a Elite Feminina e 10h para a Masculina. Nesta competição, o atleta tem que pedalar 25 minutos mais duas voltas na pista que é curta, cerca de 1.5 km. A prova Classe 3 pela UCI será a primeira no Brasil a somar pontos para o ranking olímpico. Confira o percurso.

No domingo, é a vez do Cross Country Olímpico. A pista de cerca de 5.6 km vai exigir muita técnica e força do atleta. A largada da categoria Júnior é às 12h e da Super Elite às 14h. Quem já esteve na pista e pedalou o Cross Country Olímpico (XCO) preparado pela equipe da CIMTB Levorin disse que o percurso é duro, técnico e muito divertido. Confira o vídeo do percurso abaixo. Para Júnior a prova vale pela UCI Junior Series e na Super Elite como Classe 1.

CIMTB Levorin
A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.

Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.

Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais. Lá você encontrará fotos e vídeos dos atletas e das provas.

Sense Bike irá homenagear doadores na CIMTB Levorin em comemoração ao Dia Mundial do Doador de Sangue

Marca presenteará pessoas que apresentarem comprovante de doação. Etapa de Ouro Preto acontece entre os dias 8 e 10 de junho

Em busca de incentivar a doação de sangue, a CIMTB Levorin em parceria com a Sense Bike presenteará doadores na segunda etapa da competição. A parceria visa homenagear os doadores no Dia Mundial do Doador de Sangue que é 14 de junho. O evento acontece entre os dias 8 e 10 de junho e os doadores serão presenteados com o kit da Sense no stand da marca. Os kits são limitados.

Para participar e ganhar o kit, a pessoa deve apresentar um comprovante de doação de sangue no stand da Sense. O comprovante só é válido caso a pessoa tenha feito a doação nos dois últimos meses. Para doar, a pessoa deve procurar o Hemocentro mais próximo da cidade. A ação foi inspirada no Pedalando pela Vida, passeio ciclístico que acontece para conscientizar pessoas para doação em Gravatal (SC).

De acordo com dados da organização do Pedalando Pela Vida, em 2018 o evento contabilizou mais de 4 mil vidas salvas pela iniciativa dos ciclistas participantes. A ação da CIMTB Levorin será repetida nas etapas de São Paulo e Congonhas junto com a Levorin, Sense Bike, Audax e outros parceiros.

CIMTB Levorin
A CIMTB Levorin conta pontos para o ranking mundial, da União Ciclística Internacional (UCI), fazendo parte do ciclo Olímpico Tóquio 2020, ranking Brasileiro e Mineiro.

Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 23ª Edição em 2018. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Sense Bike e Audax.

Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais. Lá você encontrará fotos e vídeos dos atletas e das provas.