Tag: copa internacional

Copa Internacional Levorin de MTB define campeões da temporada 2015

A temporada teve início há oito meses, no começo de março, em Araxá, passou por São João del-Rei em maio e terminou em Congonhas, no dia 8 de novembro. Contabilizando quatro mil inscritos, público de 40 mil pessoas e movimentação de R$ 6 milhões nas cidades-sede, a 20ª edição da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike chega ao fim com a definição de todos os campeões, incluindo os vencedores da Copa LM Bike de Amadores.

Na super elite masculina, Rubinho Valeriano (AOO Specialized) igualou o recorde de Erika Gramiscelli ao conquistar o hexacampeonato (2008, 2009, 2010, 2011, 2012 e 2015), tornando-se o maior vencedor da história da competição. O suíço Lukas Kaufmann ficou em segundo, e Henrique Avancini foi o terceiro.

Na super elite feminina, Isabella Lacerda (LM/Shimano) conquistou o tricampeonato (2013, 2014 e 2015) após vencer o Desafio da Ladeira e a Maratona (XCM) na última etapa, superando a segunda colocada, Erika Gramiscelli, por apenas quatro pontos. A argentina Agustina Apaza encerrou a temporada em terceiro.

Outro destaque foi Guilherme Müller (LM/Shimano). O jovem ciclista confirmou ser uma das promessas do mountain bike brasileiro e se tornou bicampeão sub-23 da CIMTB Levorin, repetindo o resultado de 2014. Guilherme coroou o título com a primeira colocação no XCM de Congonhas. Luiz Cocuzzi (Lar/Scott/Shimano) foi vice, seguido por Naydson Cortes (Specialized Hoffmann XCO).

Na sub-23 feminina, Maria Paula Mesquita foi quem subiu ao lugar mais alto do pódio, depois da vitória na Maratona da última etapa. Danielle Moraes e Nathalia Peres ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

Júnior masculina – Edson Rezende Júnior foi o campeão, seguido por Luiz Renato Borges (Oggi/Isapa/Shimano) e Victor Oliveira.

Júnior feminina – Larissa Brasa (Specialized Hoffmann XCO) conquistou o título. Karen Olímpio (Oggi/Isapa/Shimano) ficou em segundo e Nathalia Machado, em terceiro.

Sub-15 – O título ficou com Danilo Carvalho Filho. Laudemir Dourado e Thiago Sousa terminaram logo atrás.

Sub-17 – Lucas Sírio (AOO Specialized) terminou a temporada como campeão, seguido por Roger Renso e Pedro Lage.

Sub-30 – O campeão foi Natan Fonseca. José Sousa e Paulo Alves ficaram com a segunda e terceira colocações, respectivamente.

Sub-35 – Moisés Lourenço conquistou o título, seguido por Marcus Rufino e Lucas Nogueira.

Sub-40 – O título ficou com Marcelo Manoel. Marconi Ribeiro ficou em segundo e Geison Rabelo, em terceiro.

Sub-45 – Silvio Amorim foi o campeão, superando Robson Silva, segundo colocado, Joao Silva, terceiro.

Sub-50 – Redelvino Brito terminou a temporada no topo do pódio, seguido por Luis Lotti e Ezequiel Barbosa.

Sub-55 – O título ficou com Luiz Rovetta. Eduardo Ramires e Robert Leal vieram logo atrás.

Sub-60 – Dilermando Mello foi o campeão. Hermes Santana e José Camargo ficaram em segundo e terceiro, respectivamente.

Over 60 – Jusmar Correa encerrou a temporada com o título. A segunda colocação ficou com Helio Vilela, e a terceira foi ocupada por Valdemar Soares.

PNE – O campeão foi Walmir Fonseca, seguido por José de Araújo e Ediwaldo Carelli.

Expert – Robert Peres ficou com o título. Thales Ribeiro e Diego Resende terminaram a tempora logo atrás na classificação.

Cadete – Joaquim Alves terminou a temporada no alto do pódio, seguido por Alexandre de Paula e Jusimar Pinheiro.

Máster – Roberto Gonçalves foi o campeão. Flavio Martins ficou na segunda posição, e Edinilson Tanini, em terceiro.

Veterano – O título foi conquistado por Genivaldo Oliveira. Joel Ribeiro terminou na segunda colocação, e José Jorqueira, na terceira.

Segurança Pública – Kairo Gratão ficou com o título. O segundo colocado foi Janslley Ferreira, seguido por Marcelo Barbosa.

Feminina Over 40 – A campeã foi Raquel Gontijo. Marta Almeida ficou em segundo e Anéris Machado, em terceiro.

Feminina Sub-40 – O título ficou com Isabela Ribeiro. Maykeline Pereira foi a segunda colocada, superando Natalia Valeriano, terceira.

Copa Internacional Levorin de MTB festeja sucesso da 20ª edição

Um evento que reúne mais de quatro mil atletas, a nata do mountain bike brasileiro e latino-americano, além de ciclistas de renome no cenário mundial tem a receita para dar certo e ainda consolidar o esporte no Brasil. A Copa Internacional Levorin de MTB e a Copa LM Bike de Amadores proporcionaram no ano de 2015 algo que poucos acontecimentos esportivos conseguem: longevidade com qualidade e renovação constante, como a manutenção da corrida a pé Night Run, realizada sempre nas noites que antecedem cada etapa da CIMTB Levorin.

Já são 20 anos da competição que tornou-se a maior do MTB na América Latina e uma das maiores do mundo, com reconhecimento da UCI (União Ciclística Internacional) por sua excelência e considerável auxilio na expansão da modalidade no país. “É uma grande honra organizar um evento desta magnitude. São muitos atores envolvidos. As prefeituras de Araxá, São João del-Rei e Congonhas se mobilizam sempre com muita vontade para que o evento seja realizado sempre da melhor forma. Essas parcerias nos fortalecem e criam o ambiente ideal para que todos apreciem a beleza do MTB”, disse o organizador, Rogério Bernardes. “Em 2016 esperamos contar com o mesmo apoio, e certamente faremos da Copa Internacional Levorin de MTB e da Copa LM Bike de Amadores outro sucesso juntamente com a UCI, CBC e FMC”, completou.

Além do aspecto esportivo, com nomes consagrados dos cenários brasileiro e estrangeiro, a CIMTB Levorin e a Copa LM Bike de Amadores oferecem uma grande movimentação econômica e cultural nas cidades-sede. O evento vai além de uma competição simples e fria. Envolve a população com o concurso de redação, o passeio ciclístico, a feira de produtos ciclísticos e a praça de alimentação. O lado social não poderia ficar ausente desta celebração ao esporte. Todo atleta só pode confirmar a inscrição depois de doar 2 kg de alimentos não perecíveis, destinados a instituições de caridade. Em 2015 foram arrecadadas mais de sete toneladas.

“Não há um setor de cada cidade que nos recebe sem um efeito positivo em sua economia. Os hotéis, restaurantes, postos de gasolina e parceiros abraçam o evento e criam um círculo virtuoso que beneficia todo o município”, explicou Rogério Bernardes.

Aprovação da UCI – A estrutura, o profissionalismo e a correção com os atletas transformaram a CIMTB Levorin em sucesso internacional. O trabalho desenvolvido atraiu a chancela da UCI, que registra todos os anos um degrau a mais de melhoria da capacidade técnica da equipe organizadora em promover e executar uma prova de alto nível.

“A grande qualidade do evento é estar sempre preparado para qualquer tipo de eventualidade e assegurar a qualidade da prova. Um exemplo: na etapa de Congonhas caiu uma chuva de granizo que colocou em risco a pista. Os responsáveis pela montagem estavam de pé às 4h da manhã e solucionaram o problema, uma força da natureza. Tiveram agilidade e competência para deixar tudo em perfeita ordem para a sequência tranquila da prova”, destacou Regina Barbieri, comissária da UCI.

Regina também enalteceu a estrutura ampla da competição. “A estrutura do evento é diversa e democrática. Ela atende o lojista, o atleta, o espectador, a imprensa e o público da cidade, que se envolve de forma positiva e aproxima-se do esporte. Este legado é muito importante. A CIMTB Levorin é referência dentro e fora do Brasil. Há esse reconhecimento das três etapas. Para citar uma realidade, grandes atletas vêm para Congonhas disputar a UCI Marathon Series porque é a última chance do ano para conquistar um título de relevância. E a busca por pontos dos estrangeiros em terras brasileiras está aumentando com a presença cada vez maior de ciclistas top da UCI, também em Araxá e São João del-Rei”, concluiu Regina.

Rio 2016 – Os atletas em busca de uma vaga nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, terão um forte aliado. As etapas de Araxá (4 a 6 de março) e São João del-Rei (13 a 15 de maio), no ano que vem, serão essenciais para quem ainda sonha representar o Brasil. E, certamente, atletas de fora também buscarão os pontos da prova para aumentar a pontuação no ranking mundial. Assim, o fim do ciclo olímpico terá a CIMTB Levorin como protagonista. O campeonato termina novamente em Congonhas, de 4 a 6 de novembro de 2016.

“Internacional” não só no nome – A CIMTB Levorin provou sua repercussão mundial ao longo da temporada 2015. Somadas as três etapas, ciclistas de 17 países participaram da maior competição de mountain bike da América Latina: Brasil, Argentina, Uruguai, Bélgica, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Eslováquia, Estados Unidos, França, Hungria, Inglaterra, Israel, México, Polônia, Suíça e Venezuela.

E os estrangeiros ofuscaram os brasileiros em alguns momentos. Na abertura, em Araxá, a mexicana Daniela Campuzano venceu a super elite feminina. Já na segunda etapa, em São João del-Rei, o domínio “gringo” foi absoluto: o colombiano Fabio Castañeda foi campeão da prova masculina, enquanto a argentina Agustina Apaza ficou no topo do pódio entre as mulheres.

CIMTB Levorin e Copa LM Bike de Amadores em números:

– Atletas inscritos: 4 mil nas três etapas
– Público presente: 40 mil pessoas nas três etapas
– Movimentação econômica nas cidades-sede: R$ 6 milhões
– Frutas disponibilizadas aos atletas no reabastecimento: 2 mil caixas de maçã e banana
– Água consumida: 240 mil copos de água mineral

A matemática para o título da CIMTB Levorin 2015

A cidade de Congonhas (MG) receberá neste domingo (8) o encerramento da temporada de 2015 da Copa Internacional Levorin de MTB, maior competição de mountain bike da América Latina. Nas duas principais categorias do evento, as super elites masculina e feminina, as disputas estão polarizadas ente dois atletas: Rubinho Valeriano, de Poços de Caldas (MG), e Lukas Kaufmann, suíço radicado em Belo Horizonte (MG), entre os homens, e Érika Gramiscelli, de Betim (MG), e Isabella Lacerda, de Itaúna (MG), na feminina.

Entre as mulheres, a briga está mais equilibrada. Érika, com 129 pontos, busca o heptacampeonato e Isabella está atrás do tri, com 124. Ambas dependem apenas de um triunfo para levantarem o troféu. Caso Isabella vença, o título é dela, independentemente da colocação de Érika. Mesmo se a atual líder terminar em segundo, ambas empatariam em pontos, mas, pelo critério de desempate, quem terminar na frente na última etapa leva o título da temporada.

Erika será campeã se chegar à frente de Isabela, pois a diferença  de cinco pontos será mantida, não importa a posição. Em outros possíveis cenários, caso Isabella seja vice-campeã, por exemplo, teria que torcer para Érika não chegar em terceiro lugar, já que uma pontuaria em 41 a outra em 37, respectivamente. Se Isabella for a terceira, pontuaria em 37, aí a concorrente não pode terminar à frente do quarto lugar, posição que lhe garantiria 33 pontos.

Na super elite masculina, Rubinho Valeriano está muito próximo de conquistar o hexacampeonato da CIMTB Levorin. Para ele ser campeão, basta somar oito pontos, mesmo que o seu adversário direto, Kaufman, vença a prova de Congonhas. Rubinho seria campeão também, mesmo que não complete a prova, desde que Kaufmann não faça mais de 39 pontos na prova.

TroféusPontuação da Maratona – UCI Marathon Series:

1. 46; 2. 41; 3. 37; 4. 33; 5. 30;
6. 27; 7. 25; 8. 23; 9. 21; 10. 19;
11. 17; 12. 15; 13. 13; 14. 12; 15. 11;
16. 10; 17. 9; 18. 8; 19. 7; 20. 6;
21. 5; 22. 4; 23-3; 24. 2; 25. 1.

Para saber mais sobre as outras disputas em jogo na decisão da CIMTB Levorin acesse o link:
http://cimtb.com.br/noticias/disputas-acirradas-pelo-titulo-marcam-ultima-etapa-da-cimtb-levorin-em-congonhas/

1.800 ciclistas invadem Congonhas entre sexta-feira (6) e domingo (8)

Disputas acirradas pelo título, recorde de ciclistas inscritos, ocupação total dos hotéis. É este o panorama para a última etapa da temporada 2015 da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike, que começa na noite desta sexta-feira, em Congonhas (MG), cidade histórica localizada a 75 km de Belo Horizonte. Às 20h, o Desafio da Ladeira e a CIMTB Extreme Night Run inauguram o final de semana recheado de emoção e superação.

Alguns dos principais nomes da modalidade no Brasil e exterior participarão do Desafio da Ladeira. Haverá duas baterias na semifinal masculina – com 10 ciclistas em cada – e a final feminina.

Na primeira semifinal, estarão: Rubinho Valeriano, Julien Bely (França), Guilherme Müller, Rodrigo Rosa, Halysson Ferreira, Deivison Tinoco, Marcelo Moser, Fernando Rezende, Hudson Silva e Carlos Olímpio. Na segunda, competirão: Frans Claes (Bélgica), Jean-François Bossler (França), Marcelo Cândido, Mario Oliveira, Moisés Santos, Wender dos Santos, Wallison Barbosa, Klisman Loyola, Reinaldo Lima e Bruno Martins. Os seis melhores de cada bateria garantem vaga na final.

O título entre as mulheres será disputado por: Erika Gramiscelli, Isabella Lacerda, Roberta Stopa, Leticia Soares, Márcia Matos, Giovana Cruz, Danielle Moraes, Maria Mesquita, Ana Panini, Karen Olímpio e Amanda Vieira.

Pelo segundo ano consecutivo, a etapa de Congonhas valerá também como última etapa do UCI Marathon Series neste ano. O campeão da super elite no XCM de domingo garante 100 pontos na classificação do circuito mundial de maratona. Além disso, a etapa é classe 3 e distribuirá pontos no ranking mundial de XCO, ajudando os brasileiros na luta por vagas na Rio 2016.

Durante os três dias de competições, 19 estados brasileiros estarão representados. De Minas Gerais, são quase 1.400 competidores. A repercussão internacional da competição também atraiu estrangeiros: o suíço radicado em Belo Horizonte Lukas Kaufmann (super elite masculina), os franceses Dubois Camille (cadete), Jean-François Bossler e Julien Bely (ambos na super elite masculina), além do belga Frans Claes (super elite masculina), décimo colocado no ranking mundial de maratona e campeão do Sauípe da CIMTB Levorin, em 2013.

“Em 2015 a Copa Internacional Levorin de Mountain Bike se estabeleceu ainda com mais força no cenário internacional. Em Araxá tivemos pela primeira vez em solo americano uma prova SHC (Hors Class por etapa). A etapa de São João del-Rei novamente fez parte da UCI Junior Series. E agora, em Congonhas, vamos encerrar a temporada mundial da UCI Marathon Series. O ano de 2016 será ainda mais emocionante e forte”, afirma Rogério Bernardes, organizador da CIMTB Levorin.

Luta pelo título aberta na super elite feminina – O público pode esperar emoção até o fim na super elite feminina, categoria em que duas ciclistas despontam como oponentes na luta pelo título. Como a argentina Agustina Apaza, líder do campeonato, a goiana Raiza Goulão, terceira, e a mexicana Daniela Campuzana, quinta, não participarão da etapa decisiva, as mineiras Erika Gramiscelli (Soul Cycles) e Isabella Lacerda (LM/Shimano) devem disputar a primeira colocação.

Seis vezes campeã (1999, 2004, 2005, 2007, 2009 e 2012), Erika está em segundo lugar, com 114 pontos, apenas oito atrás de Agustina, vencedora em São João del-Rei. Já Isabella aparece na quarta posição, próxima a Erika, com 104 pontos.

Em contrapartida, a definição da super elite masculina parece mais bem encaminhada. O líder é o mineiro Rubinho Valeriano (AOO Specialized), que tem os mesmos 106 pontos do fluminense Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing), mas está na frente por causa dos critérios de desempate. Como Avancini não competirá em Congonhas, Rubinho é amplo favorito a levantar a taça e, assim, conquistar seu sexto título, repetindo os feitos de 2008, 2009, 2010, 2011 e 2012.

No Desafio da Ladeira, o vencedor garante 20 pontos na classificação. Já no XCM, domingo, pontuam os 25 primeiros colocados de cada categoria, sendo 46 pontos para o líder.

Novas categorias e mudanças na largada e na pista – A tradicional feira de expositores, com as melhores marcas do mercado de bicicleta, ficará localizada em um ponto estratégico neste ano. Pela primeira vez, todas as provas terão largada inédita, passando dentro da feira.

Atendendo a pedidos, os organizadores também implementaram a categoria dupla mista/feminina, substituindo a dupla mista. Outra novidade é a instituição da categoria peso pesado, competição masculina e individual, entre ciclistas acima dos 95 kg.

Em relação ao ano passado, houve algumas mudanças nos três percursos do XCM, disputado no domingo (8) e encerrando a temporada 2015 da maior competição de MTB da América Latina. O traçado completo dos circuitos de 60 km, 40 km e 33 km pode se visto no link http://cimtb.com.br/etapas/uci-mtb-marathon-series-xcm-congonhas/#percursos.

Outra alteração diz respeito à largada. Primeiro, serão alinhadas apenas as categorias cujo trajeto é de 60 km: Super elites masculina e feminina abrirão a competição, seguidas por júnior masculina, sub-30, sub-35, sub-40, sub-45 e sub-50. Na sequência, haverá um intervalo de 35 minutos e largada das categorias que percorrerão 38 km. Expert, Cadete, sub-17, sub-55, sub-60, over 60, segurança pública e pne largam na frente, e o segundo bloco será composto por máster, veterano, duplas, peso-pesado, feminina sub-40 e feminina over 40. As categorias júnior feminina e sub-15 masculina, cujo percurso é de 33 km, farão um deslocamento depois da última categoria e largarão no PC 3 para terem mais segurança. Os ciclistas mirins saem por último, para o traçado reduzido próximo à área de premiação.

Passeio ciclístico e concurso cultural – No sábado, às 16h, haverá o Passeio Ciclístico Sense Bike, aberto ao público e cuja finalidade é promover a mobilidade urbana, a saúde e a preservação do meio ambiente.

Na tarde de domingo, a partir das 14h30, serão premiados os vencedores dos concursos de poema e desenho promovidos pela CIMTB Levorin, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Congonhas, cujo tema é “A bicicleta e o meio ambiente”. Os autores do melhor desenho (concurso entre crianças do 3º ano) e do melhor poema (apenas entre alunos do 4º ano), bem como seus respectivos professores, serão premiados com uma bicicleta da Houston cada.

Benefícios econômicos para Congonhas e região – Com todos os quartos de hotéis reservados, Congonhas estima uma injeção de mais de R$ 500 mil na economia local ao longo dos três dias de evento. Os frutos por sediar a competição, entretanto, não serão colhidos apenas durante as provas de mountain bike (Desafio da Ladeira e XCM) e a CIMTB Extreme Night Run.

“Boa parte dos atletas que vêm competir traz a família. E essas pessoas saem para conhecer os pontos turísticos enquanto o familiar compete ou faz o reconhecimento dos circuitos. Muitos turistas acabam retornando para Congonhas por terem conhecido a cidade por meio da CIMTB Levorin”, afirma Marcelo Maciel, assessor da diretoria de Turismo de Congonhas.

Pontos turísticos – Composto por 78 esculturas em tamanho natural, o Santuário Bom Jesus de Matosinhos é o local mais concorrido pelos turistas em Congonhas, cidade reconhecida há 30 anos como Patrimônio Cultural da Humanidade, título concedido pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a educação). O conjunto começou a ser construído em 1757, com o dinheiro coletado pelo português Feliciano Mendes, determinado a concluir o projeto ainda em vida, depois de contrair grave doença enquanto trabalhava nas minas de ouro. Porém, o santuário só foi finalizado mais de um século depois, em 1875.

No local, deixaram sua contribuição artistas como Manoel da Costa Ataíde, Francisco Xavier Carneiro, João Nepomuceno Ferreira e Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. Ao todo, são 78 esculturas em tamanho natural, sendo 12 profetas dispostos no adro da igreja e confeccionados em pedra-sabão, além de imagens representando os Passos da Paixão de Cristo. O francês Germain Bazin, um dos principais estudiosos do barroco mineiro, considera o Santuário Bom Jesus de Matosinhos “a última aparição de Deus evocada pela mão do homem”.

Também são destaques turísticos em Congonhas os Museus Romaria e da Imagem e Memória, as Igrejas de Nossa Senhora da Conceição e do Rosário, além do Parque da Cachoeira. Congonhas pode ser percorrida a pé, basta aos turistas estarem dispostos para subir e descer as ladeiras da cidade e entrarem nas igrejas que abrigam as obras de Aleijadinho, seu mais ilustre cidadão.

CIMTB Levorin em Congonhas: novas categorias e largada inédita passando pela feira de expositores

A Copa Internacional Levorin de Mountain Bike chega à última etapa em 2015 com uma série de novidades. Novas categorias e mudanças, tanto nas largadas quanto na pista, são alguns dos atrativos para o público e para os mais de 1.800 atletas inscritos para competir em Congonhas, entre sexta-feira (6) e domingo (8). O número representa novo recorde da etapa, que no ano passado somou 1.600 inscritos.

A tradicional feira de expositores, com as melhores marcas do mercado de bicicleta, ficará localizada em um ponto estratégico neste ano. Pela primeira vez, todas as provas terão largada inédita passando dentro da feira.

Atendendo a pedidos, os organizadores também implementaram a categoria dupla mista/feminina, substituindo a dupla mista. De acordo com o regulamento vigente até então, mulheres só poderiam formar duplas com homens para competir no XCM. No domingo, haverá duplas formadas somente por mulheres.

“Importante ressaltar a manutenção da igualdade de condições na disputa desta categoria, pois a referência de tempo é sempre o(a) atleta mais lento(a)”, explica Rogério Bernardes, organizador da CIMTB Levorin.

Outra novidade é a instituição da categoria peso pesado no XCM, competição masculina e individual, entre ciclistas acima dos 95 kg.

Largadas e percursos – Em relação ao ano passado, houve algumas mudanças nos três percursos do XCM, disputado no domingo (8) e encerrando a temporada 2015 da maior competição de MTB da América Latina. O traçado completo dos circuitos de 60 km, 40 km e 33 km pode se visto no link http://cimtb.com.br/etapas/uci-mtb-marathon-series-xcm-congonhas/#percursos.

Outra alteração diz respeito à largada. Primeiro, serão alinhadas apenas as categorias cujo trajeto é de 60 km: Super elites masculina e feminina abrirão a competição, seguidas por júnior masculina, sub-30, sub-35, sub-40, sub-45 e sub-50. Na sequência, haverá um intervalo de 35 minutos e largada das categorias que percorrerão 38 km. Expert, Cadete, sub-17, sub-55, sub-60, over 60, segurança pública e pne largam na frente, e o segundo bloco será composto por máster, veterano, duplas, peso-pesado, feminina sub-40 e feminina over 40. As categorias júnior feminina e sub-15 masculina, cujo percurso é de 33 km, farão um deslocamento depois da última categoria e largarão no PC 3 para terem mais segurança. Os ciclistas mirins saem por último, para o traçado reduzido próximo à área de premiação.

Disputas acirradas pelo título marcam última etapa da CIMTB Levorin, em Congonhas

Entre sexta-feira (6) e domingo (8), alguns dos principais nomes do MTB brasileiro e mundial estarão na cidade de Congonhas (MG), onde será realizada a última etapa da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike 2015. O Desafio da Ladeira e o XCM definirão os campeões da temporada, cujo sucesso foi comprovado pelo número de inscrições para a competição na “Cidade dos Profetas”: cerca de 1.800 atletas, novo recorde em Congonhas da maior prova de MTB da América Latina.

O público pode esperar emoção até o fim na super elite feminina, categoria em que duas ciclistas despontam como oponentes na luta pelo título. Como a argentina Agustina Apaza, líder do campeonato, a goiana Raiza Goulão, terceira, e a mexicana Daniela Campuzana, quinta, não participarão da etapa decisiva, as mineiras Erika Gramiscelli (Soul Cycles) e Isabella Lacerda (LM/Shimano) devem disputar a primeira colocação.

Seis vezes campeã (1999, 2004, 2005, 2007, 2009 e 2012), Erika está em segundo lugar, com 114 pontos, apenas oito atrás de Agustina, vencedora em São João del-Rei. Apesar de não ser especialista em XCM, a ciclista confia no trabalho físico e psicológico desenvolvido nos últimos meses.

“Independentemente das participantes, a CIMTB é sempre desafiadora. Tenho certa dificuldade em Congonhas, por isso aposto na vitória da Leticia Cândido (Focus XC Team Brasil), uma atleta talentosa e esforçada, que representa muito bem Minas Gerais”, afirma Erika, para quem a briga pelo título será mesmo entre ela e Isabella. “A Isabella sempre foi muito forte e determinada, então será uma grande adversária”.

Já Isabella aparece na quarta posição, próxima a Erika, com 104 pontos. Lutando por uma vaga na Rio 2016, a mineira é a atual bicampeã da CIMTB Levorin. “Espero que dê tudo certo em Congonhas e eu consiga conquistar o tricampeonato. Seria uma grande motivação na busca pela vaga olímpica”.

No Desafio da Ladeira, a ser disputado na noite de sexta-feira, abrindo a competição, o vencedor garante 20 pontos na classificação. Já no XCM, domingo, pontuam os 25 primeiros colocados de cada categoria, sendo 46 pontos para o líder.

Super elite masculina – A definição da super elite masculina parece mais bem encaminhada. O líder é o mineiro Rubinho Valeriano (AOO Specialized), que tem os mesmos 106 pontos do fluminense Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing), mas está na frente por causa dos critérios de desempate. Como Avancini não competirá em Congonhas, Rubinho é amplo favorito a levantar a taça e, assim, conquistar seu sexto título, repetindo os feitos de 2008, 2009, 2010, 2011 e 2012.

Entre os cinco primeiros colocados, o único inscrito na última etapa e, portanto, capaz de surpreender o líder é Lukas Kaufmann (OCE Cannondale Team). O suíço radicado em Belo Horizonte ocupa a quarta posição, com 87 pontos.

Sub-23 – Tanto na sub-23 masculina quanto na feminina, o campeão provavelmente será definido apenas no domingo, após o XCM. Entre os homens, Luiz Cocuzzi (Lar/Scott/Shimano) lidera com 98 pontos e conta com vantagem de 19 pontos em relação ao segundo colocado, Guilherme Müller (LM/Shimano). Como Cocuzzi não estará em Congonhas, Guilherme tem boas chances de ser campeão. Jefferson Batista, com 55 pontos, e Naydson Cortes (Specialized Hoffmann XCO), com 48 pontos, correm por fora.

Na sub-23 feminina a briga pelo título é mais acirrada. Danielle Morais (Tripp Aventura) lidera com 68 pontos, seguida por Maria Paula Mesquita (Clíninica da Circulação, 66 pontos) e Ana Paula Azevedo, ausente da última etapa e dona de 62 pontos. Também têm chances de título a quarta colocada, Nathalia Pereira (Cross Lapa), com 51 pontos, e a quinta, Camila Melo (Trek Brasil), com 48 pontos.

Júnior – Na júnior feminina, duas ciclistas em especial lutam para tirar o título da líder, a paulista Jaqueline Borba (Lar/Scott/Shimano), que tem 92 pontos mas não disputará a última etapa: a paulista Larissa Brasa (Specialized Hoffmann XCO, 78 pontos) e a mineira Karen Olímpio (Oggi/Isapa/Shimano, 66 pontos).
Na júnior masculina, o favorito é o mineiro Gilberto Melo, vice-líder, com 71 pontos, pois o primeiro colocado, Érick Bruske (AOO Specialized), dono de 74 pontos, não competirá. O goiano Luiz Renato Borges (Oggi/Isapa/Shimano), quarto colocado, com 54 pontos, corre por fora.

Expert – Na expert, Robert Peres lidera, com 92 pontos, seguido por Thales Ribeiro (74 pontos) e Pedro Henrique Miranda, ausente na última etapa.

Cadete – Na cadete, o líder é Alexandre Ferreira, com 87 pontos. Também brigam pelo título Joaquim Alves (71 pontos) e Julsimar Pinheiro (60 pontos).

Máster – Na máster, quem lidera é Roberto Gonçalves, com 83 pontos, seguido por Edinilson Tanini (78 pontos), que não estará em Congonhas, e Flávio Martins (68 pontos).

Veterano – Na veterano, a briga será roda a roda, entre Genivaldo Oliveira e Joel Batista Ribeiro. Ambos têm os mesmos 87 pontos, mas Genivaldo aparece em primeiro devido aos critérios de desempate. José Carlos Jorqueira está em terceiro, com 58.

Segurança pública – Kairo Gratão, o Catalão, lidera com folga na segurança pública. Ele tem 92 pontos e é perseguido por Marcelo Rocha (68 pontos) e Janslley Ferreira (67 pontos).

Feminino sub-40 – A líder da feminino sub-40 é Isabella Ribeiro, com 92 pontos. Na sequência aparecem duas ciclistas com os mesmos 78 pontos: Maykeline Pereira, segunda colocada, e Nara Faria, terceira.

Feminino over 40 – A feminino over 40 é liderada por Raquel Gontijo, com 92 pontos. Marta Almeida vem logo atrás, com 82 pontos, e Marta Cantarino tem 70.

Sub-15 – Na sub-15, Danilo Carvalho é o primeiro colocado, com 87 pontos, seguido por Laudemir Batista (67 pontos) e Thiago Cunha (64 pontos).

Sub-17 – O líder da sub-17 é Lucas Sírio (AOO Specialized), com 87 pontos. Também lutam pelo título Roger Renso (79 pontos) e Vinícius Araújo (74 pontos).

Sub-30 – Nathanael Mendes lidera a sub-30, com 92 pontos, seguido por Paulo Alves (71 pontos) e João Paulo da Silva (66 pontos).

Sub-35 – A disputa pelo título da sub-35 está aberta, pois os três primeiros colocados estão muito próximos: Moisés Lourenço (79 pontos), Marcus Faria (76 pontos) e Gustavo Santos (74). Como Gustavo não estará em Congonhas, a primeira colocação provavelmente ficará entre Moisés e Marcus.

Sub-40 – Marcelo Sebastião lidera a sub-40, com 87 pontos, e está bem perto do título, uma vez que seus principais concorrentes, Albert Guinter (78 pontos) e Flavio de Oliveira (70 pontos) não competirão na última etapa.

Sub-45 – Quem lidera a sub-45 é Silvio Amorim, com 92 pontos, seguido por Robson Aloisio e João Erildo, ambos com 74 pontos.

Sub-50 – O líder da sub-50 é Redelvino Rodrigues, com 82 pontos. Fabio Luis Dias, em segundo (70 pontos), e Rogério Melo (63 pontos) aparecem em segundo e terceiro, respectivamente.

Sub-55 – Eduardo Ramires lidera a sub-55, com 92 pontos, seguido por Claudio Dutra (70 pontos), que não estará em Congonhas, e Arley de Jesus, 67 pontos.

Sub-60 – A sub-60 é liderada por Dilermando Melo (92 pontos). Ainda estão na disputa Hermes Santana (82 pontos) e Sergio Albernaz (74 pontos), ausente na última etapa.

Over 60 – O líder da over 60 é Jusmar Correa, com 87 pontos, seguido por Hélio Vilela (74 pontos) e Niedson Albuquerque (64 pontos).

PNE – A pne tem como líder Walmir Fonseca (71 pontos) como líder, seguido por José de Araújo (46 pontos) e Jefferson Spimpolo, que tem a mesma pontuação do segundo colocado mas não estará em Congonhas.

Etapa de Congonhas bate recorde de inscritos e encerra temporada 2015

Daqui a exatamente uma semana, na próxima sexta-feira (6), a cidade de Congonhas será sede da etapa de encerramento da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike em 2015. Localizado a 75 quilômetros de Belo Horizonte, o município histórico se prepara para receber quase 1.800 atletas, somando participantes da CIMTB Levorin, da Copa LM Bike de Amadores e da CIMTB Extreme Night Run. O número representa um novo recorde para esta etapa, que no ano passado contabilizou aproximadamente 1.600 inscritos.

“Isso é resultado de muito trabalho e dedicação da organização da competição e da prefeitura de Congonhas, com apoio dos patrocinadores. Como todos os atletas vêm acompanhados de amigos ou familiares, conseguimos imaginar o enorme impacto positivo causado pelo evento na cidade. Os hotéis, por exemplo, já não têm mais quartos disponíveis há semanas”, avalia Rogério Bernardes, organizador do principal circuito de MTB da América Latina.

Durante os três dias de competições, 19 estados brasileiros estarão representados. De Minas Gerais, são quase 1.400 competidores. A repercussão internacional da competição também atraiu estrangeiros: os franceses Dubois Camille (cadete), Jean-François Bossler e Julien Bely (ambos na elite masculina), além do belga Frans Claes (elite masculina), décimo colocado no ranking mundial de maratona e campeão do Sauípe da CIMTB Levorin, em 2013.

“Em 2015 a Copa Internacional Levorin de Mountain Bike se estabeleceu ainda com mais força no cenário internacional. Em Araxá tivemos pela primeira vez em solo americano uma prova SHC (Hors Class por etapa). A etapa de São João del-Rei novamente fez parte da UCI Junior Series. E agora, em Congonhas, vamos encerrar a temporada mundial da UCI Marathon Series. O ano de 2016 será ainda mais emocionante e forte”, afirma Rogério.

Confirmação das inscrições – A confirmação das inscrições poderá ser feita em Belo Horizonte (entre os dias 3 e 5 de novembro) ou em Congonhas (dias 6 e 7). Nos mesmos locais será entregue o chip com o numeral. É importante os atletas se atentarem para o horário de funcionamento dos postos de atendimento, pois a secretaria do evento não abrirá no domingo (8).

Em Belo Horizonte, o atendimento será feito das 14h às 19h, entre terça (3) e quinta-feira (5), na loja Nerea: Avenida Francisco Deslandes, 1018, loja 01, bairro Anchieta (telefone para contato: 31 3225-5721). Na sexta-feira (6), das 11h às 19h30, na secretaria ao lado da Basílica, serão feitas as confirmações das inscrições para o Desafio da Ladeira e a prova de XCM de domingo (8). Das 10h às 18h do sábado (7) serão efetuadas as confirmações para o XCM de domingo.

O congresso técnico será às 18h de sábado, também na secretaria do evento.

Devolução dos chips – A exemplo das duas etapas anteriores (Araxá e São João del-Rei), em Congonhas o chip com o numeral deverá ser devolvido por todos os atletas ao final da competição, sob risco de aplicação de multa de R$ 50,00 numa próxima etapa, caso a devolução não seja efetuada, e até de desclassificação se o ciclista utilizá-lo em outra prova.

As medalhas disponíveis para todos os atletas que participaram das três etapas deste ano devem ser retiradas na secretaria, no ato de confirmação da inscrição.

Definidas semifinais masculinas e final feminina do Desafio da Ladeira

A terceira e última etapa da temporada 2015 da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike terá início no próximo dia 6 (sexta-feira). Logo no primeiro dia, às 20h (de Brasília), alguns dos principais nomes da modalidade no Brasil e exterior participarão do Desafio da Ladeira. Haverá duas baterias na semifinal masculina – com 10 ciclistas em cada – e a final feminina.

Na primeira semifinal, estarão: Rubinho Valeriano, Julien Bely (França), Guilherme Müller, Rodrigo Rosa, Halysson Ferreira, Deivison Tinoco, Marcelo Moser, Fernando Rezende, Hudson Silva e Carlos Olímpio. Na segunda, competirão: Frans Claes (Bélgica), Jean-François Bossler (França), Marcelo Cândido, Mario Oliveira, Moisés Santos, Wender dos Santos, Wallison Barbosa, Klisman Loyola, Reinaldo Lima e Bruno Martins. Os seis melhores de cada bateria garantem vaga na final.

O título entre as mulheres será disputado por: Erika Gramiscelli, Isabella Lacerda, Roberta Stopa, Leticia Soares, Márcia Matos, Giovana Cruz, Danielle Moraes, Maria Mesquita, Ana Panini, Karen Olímpio e Amanda Vieira.

Por ser uma prova noturna, os ciclistas devem usar, obrigatoriamente, um farol na bike. “Na minha opinião, este é o maior desafio de toda a temporada. Encarar uma ladeira com piso de pedra-sabão não é para qualquer um. Não poderia existir prova mais emocionante para iniciarmos as competições em Congonhas, e ela será decisiva na pontuação do campeonato, que se encerra domingo”, afirma Rogério Bernardes, organizador da CIMTB Levorin.

Paralelamente ao Desafio da Ladeira, no mesmo trajeto, será realizada a corrida a pé CIMTB Extreme Night Run. No domingo (8), será disputado o XCM, válido como última etapa da UCI Marathon Series no mundo em 2015 e garantindo 100 pontos ao primeiro colocado no ranking internacional de maratona.

Referência do ciclismo mundial, França terá dois representantes na última etapa da CIMTB Levorin

A terceira e última etapa da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike, em Congonhas (MG), contará com pelo menos mais dois europeus entre os competidores. Depois de anunciar a participação do belga Frans Claes – top 10 do ranking mundial de maratona e campeão do Sauípe da CIMTB Levorin em 2013 -, a organização da maior competição de MTB da América Latina confirmou a inscrição dos franceses Jean-François Bossler e Julien Bely.

Como a temporada europeia de XCM terminou, ambos querem aproveitar a prova em solo brasileiro para manter o ritmo e conhecer Congonhas, a “Cidade dos Profetas”, reconhecida há 30 anos pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação) como Patrimônio Cultural da Humanidade.

“A proximidade do inverno já trouxe o frio à Europa, então o Brasil é uma boa opção para se manter motivado a pedalar. Estive no país em 2011 e achei tudo perfeito, principalmente o clima e as pessoas”, afirma Jean-François, terceiro colocado, neste ano, na Absa Cape Epic, competição de 800 km na África do Sul, com 15 mil metros de altimetria acumulada. “Minha motivação é descobrir uma nova corrida e uma cultura diferente, em um cenário muito bonito”, diz Julien.

Outro atrativo é que Congonhas valerá também como última etapa da UCI Marathon Series em 2015. O campeão da super elite no XCM de domingo garante 100 pontos na classificação do circuito mundial de maratona. Além disso, a etapa é classe 3 e distribui pontos no ranking mundial de XCO, ajudando brasileiros e estrangeiros na luta por vagas na Rio 2016.

Presentes no Mundial de Maratona deste ano, realizado em junho, na Itália, os franceses adotam postura respeitosa em relação aos brasileiros, evitando fazer previsões ambiciosas em relação ao resultado.

“Treinei duro para alcançar a melhor posição possível em Congonhas, mas os brasileiros são muito fortes. Para ser honesto, penso em algo como terminar entre os dez primeiros”, declara Jean-François. “Tomando como base os tempos da prova no ano passado, dá pra ver o nível alto da CIMTB Levorin. Por isso, considero o top 10 um ótimo resultado”, avalia Julien.

Belga top 10 da UCI Marathon Series confirma presença na última etapa da CIMTB Levorin

A última etapa da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike, entre os dias 6 e 8 de novembro, em Congonhas (MG), já tem uma presença de peso confirmada. Trata-se do belga Frans Claes, décimo colocado do ranking mundial da UCI Marathon Series e campeão do Sauípe da CIMTB Levorin, em 2013, quando participou pela primeira vez da competição. Neste ano, o atleta já conquistou 13 vitórias, sendo uma delas o título belga de XCM.

“Tenho lembranças bastante agradáveis da Copa Internacional, pois conheci pessoas muito amigáveis e vivenciei um ambiente completamente diferente do que estamos acostumados na Europa”, diz o belga.

Em sua única participação na prova, Frans venceu a maratona no terceiro dia de competições na Bahia, superando o fluminense Henrique Avancini, brasileiro número 1 do cross country olímpico e campeão da CIMTB Levorin naquele ano.

“Não estou em plena forma e a disputa contará com ciclistas muito fortes. Mas darei o melhor para conseguir a vitória e, caso isso aconteça, certamente será um dos maiores triunfos da minha carreira”, afirma.

A etapa de Congonhas valerá também como última etapa da UCI Marathon Series em 2015. O campeão da super elite no XCM de domingo garante 100 pontos na classificação do circuito mundial de maratona. Além disso, a etapa é classe 3 e distribui pontos no ranking mundial de XCO, ajudando os brasileiros na luta por vagas na Rio 2016.

“Farei uma preparação especial em Portugal antes de embarcar para o Brasil. Como será minha última corrida neste ano, espero encerrar a temporada com chave de ouro, no topo do pódio”, declara.

A bela Congonhas – Além de ter sido atraído pela competição em si, o belga se sentiu motivado a retornar ao Brasil por causa das belezas naturais e arquitetônicas de Congonhas, a “Cidade dos Profetas”. Neste ano, o município mineiro comemora 30 anos como Patrimônio Cultural da Humanidade, título concedido pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a educação).

“O Rogério [Bernardes, organizador da CIMTB Levorin] me contou algumas histórias lindas da corrida em Congonhas, além de ter falado sobre o histórico da região e a beleza de sua natureza”, justifica Frans.