Notícias

Copa Internacional Levorin de MTB festeja sucesso da 20ª edição

Um evento que reúne mais de quatro mil atletas, a nata do mountain bike brasileiro e latino-americano, além de ciclistas de renome no cenário mundial tem a receita para dar certo e ainda consolidar o esporte no Brasil. A Copa Internacional Levorin de MTB e a Copa LM Bike de Amadores proporcionaram no ano de 2015 algo que poucos acontecimentos esportivos conseguem: longevidade com qualidade e renovação constante, como a manutenção da corrida a pé Night Run, realizada sempre nas noites que antecedem cada etapa da CIMTB Levorin.

Já são 20 anos da competição que tornou-se a maior do MTB na América Latina e uma das maiores do mundo, com reconhecimento da UCI (União Ciclística Internacional) por sua excelência e considerável auxilio na expansão da modalidade no país. “É uma grande honra organizar um evento desta magnitude. São muitos atores envolvidos. As prefeituras de Araxá, São João del-Rei e Congonhas se mobilizam sempre com muita vontade para que o evento seja realizado sempre da melhor forma. Essas parcerias nos fortalecem e criam o ambiente ideal para que todos apreciem a beleza do MTB”, disse o organizador, Rogério Bernardes. “Em 2016 esperamos contar com o mesmo apoio, e certamente faremos da Copa Internacional Levorin de MTB e da Copa LM Bike de Amadores outro sucesso juntamente com a UCI, CBC e FMC”, completou.

Além do aspecto esportivo, com nomes consagrados dos cenários brasileiro e estrangeiro, a CIMTB Levorin e a Copa LM Bike de Amadores oferecem uma grande movimentação econômica e cultural nas cidades-sede. O evento vai além de uma competição simples e fria. Envolve a população com o concurso de redação, o passeio ciclístico, a feira de produtos ciclísticos e a praça de alimentação. O lado social não poderia ficar ausente desta celebração ao esporte. Todo atleta só pode confirmar a inscrição depois de doar 2 kg de alimentos não perecíveis, destinados a instituições de caridade. Em 2015 foram arrecadadas mais de sete toneladas.

“Não há um setor de cada cidade que nos recebe sem um efeito positivo em sua economia. Os hotéis, restaurantes, postos de gasolina e parceiros abraçam o evento e criam um círculo virtuoso que beneficia todo o município”, explicou Rogério Bernardes.

Aprovação da UCI – A estrutura, o profissionalismo e a correção com os atletas transformaram a CIMTB Levorin em sucesso internacional. O trabalho desenvolvido atraiu a chancela da UCI, que registra todos os anos um degrau a mais de melhoria da capacidade técnica da equipe organizadora em promover e executar uma prova de alto nível.

“A grande qualidade do evento é estar sempre preparado para qualquer tipo de eventualidade e assegurar a qualidade da prova. Um exemplo: na etapa de Congonhas caiu uma chuva de granizo que colocou em risco a pista. Os responsáveis pela montagem estavam de pé às 4h da manhã e solucionaram o problema, uma força da natureza. Tiveram agilidade e competência para deixar tudo em perfeita ordem para a sequência tranquila da prova”, destacou Regina Barbieri, comissária da UCI.

Regina também enalteceu a estrutura ampla da competição. “A estrutura do evento é diversa e democrática. Ela atende o lojista, o atleta, o espectador, a imprensa e o público da cidade, que se envolve de forma positiva e aproxima-se do esporte. Este legado é muito importante. A CIMTB Levorin é referência dentro e fora do Brasil. Há esse reconhecimento das três etapas. Para citar uma realidade, grandes atletas vêm para Congonhas disputar a UCI Marathon Series porque é a última chance do ano para conquistar um título de relevância. E a busca por pontos dos estrangeiros em terras brasileiras está aumentando com a presença cada vez maior de ciclistas top da UCI, também em Araxá e São João del-Rei”, concluiu Regina.

Rio 2016 – Os atletas em busca de uma vaga nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, terão um forte aliado. As etapas de Araxá (4 a 6 de março) e São João del-Rei (13 a 15 de maio), no ano que vem, serão essenciais para quem ainda sonha representar o Brasil. E, certamente, atletas de fora também buscarão os pontos da prova para aumentar a pontuação no ranking mundial. Assim, o fim do ciclo olímpico terá a CIMTB Levorin como protagonista. O campeonato termina novamente em Congonhas, de 4 a 6 de novembro de 2016.

“Internacional” não só no nome – A CIMTB Levorin provou sua repercussão mundial ao longo da temporada 2015. Somadas as três etapas, ciclistas de 17 países participaram da maior competição de mountain bike da América Latina: Brasil, Argentina, Uruguai, Bélgica, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Eslováquia, Estados Unidos, França, Hungria, Inglaterra, Israel, México, Polônia, Suíça e Venezuela.

E os estrangeiros ofuscaram os brasileiros em alguns momentos. Na abertura, em Araxá, a mexicana Daniela Campuzano venceu a super elite feminina. Já na segunda etapa, em São João del-Rei, o domínio “gringo” foi absoluto: o colombiano Fabio Castañeda foi campeão da prova masculina, enquanto a argentina Agustina Apaza ficou no topo do pódio entre as mulheres.

CIMTB Levorin e Copa LM Bike de Amadores em números:

– Atletas inscritos: 4 mil nas três etapas
– Público presente: 40 mil pessoas nas três etapas
– Movimentação econômica nas cidades-sede: R$ 6 milhões
– Frutas disponibilizadas aos atletas no reabastecimento: 2 mil caixas de maçã e banana
– Água consumida: 240 mil copos de água mineral