Notícias

Com pontos da 2º etapa da CIMTB Levorin, atletas brasileiros estão mais próximos de mais uma vaga nos Jogos 2016

Atualmente, Brasil está em 13º colocação no ranking da UCI. Pontos podem ajudar país a conquistar mais uma vaga para a equipe masculina. 

CIMTB - 2016 - foto thiago lemos (1)Henrique Avancini já garantiu a vaga nos Jogos 2016 (Crédito: Thiago Lemos)

Dez dias antes de fechar o Ciclo Olímpico, os atletas brasileiros somaram 104 pontos para o Ranking das Nações através da 2º etapa da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike (CIMTB Levorin). O evento aconteceu em São João del-Rei, entre os dias 13 e 15 de maio. Com isso, o Brasil, que está em 13º no ranking, está cada vez mais perto de manter ou subir uma posição e conquistar, pela primeira vez na história do mountain bike brasileiro, duas vagas em Jogos Olímpicos. Até o fechamento desta matéria, o ranking da União Ciclística Internacional (UCI) não tinha sido atualizado.

Na Elite feminina, Isabella Lacerda conquistou 10 pontos ao ficar em primeiro lugar no Cross Country Eliminator (XCE), no sábado. Através de Raiza Goulão, foram mais 60 pontos com a vitória no Cross Country Olímpico (XCO), do domingo. Além disso, Henrique Avancini ajudou o Brasil depois de ganhar 60 pontos ao sair vitorioso do XCO. Já Rubens Valeriano, ficou com o 3º lugar, mais os 30 pontos e Ricardo Pscheidt, terminou a prova em 8º, mais 14 pontos.

Foto: Thiago Lemos Ricardo Pscheidt São joão del-Rei 2016 8º lugar

Pscheidt diz que fez uma maratona de competições (Crédito: Thiago Lemos)

O atleta Henrique Avancini está com a vaga garantida nos Jogos 2016 depois de ganhar um campeonato continental, o Pan-americano de mountain bike em 2015. Com 864 pontos no ranking da UCI, ele afirma que os pontos na CIMTB Levorin, foi um grande passo para garantir a segunda vaga. “Era necessário pelo menos um atleta dos três vencer a prova e os outros dois estarem bem colocados. O Rubens terminou em 3º e o Pscheidt terminou bem também. A gente conseguiu ter uma boa somatória dos três. Foi um grande passo e agora, a segunda vaga está praticamente concretizada. Temos só mais um fim de semana para manter o Brasil nos top treze. Isso vai depender do meu desempenho na Copa do Mundo, na Alemanha semana que vem, e o desempenho de Rubinho e Pscheidt em uma prova Classe 2 aqui na Argentina”, contou.Avancini lembrou que nos último Jogos Olímpicos, o Brasil tinha poucas perspectivas. “Em Londres, em 2012, a gente não tinha nem mesmo a certeza de ter um atleta nos Jogos. A gente fez um trabalho emergencial nos últimos seis meses para conseguir entrar nos top 24. Isso mostra como o nível conjunto dos atletas evoluiu no pais. Isso é importante pra gente, para a indústria, para as competições, para o público, pois fomenta o uso da bicicleta. Eu fico muito feliz de participar de tudo isso, de fazer parte desse momento”, contou.

 

O atleta Ricardo Psheidt está fazendo um trabalho duro para manter o Brasil na 2º vaga e consequentemente, poder representar o país nos Jogos 2016. Atualmente, com 500 pontos no ranking da UCI, ele afirma que fez uma maratona de competições e apesar de não ter ficado satisfeito com a atuação dele na prova na CIMTB Levorin, o resultado foi bom para o país. “Realmente, o resultado de hoje foi muito bom para o Brasil. Foram bons pontos. Apesar de eu não ter ficado em uma boa colocação, marquei mais alguns pontos. Foi uma boa pontuação e deixou o Brasil bem próximo da segunda vaga. Agora vamos para a Argentina”, disse.

Foto: Thiago Lemos - Rubinho Valeriano 3º lugar São João del-Rei 2016

Rubinho pode participar pela 3º vez na carreira de Jogos Olímpicos (Foto: Thiago Lemos)

Já Rubens Valeriano, com 376 pontos, tem a chance de participar do 3º Jogo Olímpico da carreira dele. O atleta esteve em Pequim 2008 e Londres 2012. “Vou para uma competição na Argentina ainda e agora, a briga da segunda vaga está entre mim e o Pscheidt. Se eu for para o Rio 2016, vou fazer um bom trabalho. Às vezes eu arrepio de pensar que eu posso representar o Brasil em Jogos pela 3º vez.  É uma coisa inédita no Brasil. Vai ser muito gratificante”, afirmou.

Feminino
Como país sede, o Brasil tem uma vaga garantida tanto para o masculino, quanto para o feminino. Com 1100 pontos no ranking da UCI, Raiza Goulão aguarda a publicação oficial para ter a vaga garantida nos Jogos 2016. “Estou muito feliz. A CIMTB Levorin foi um ótimo aquecimento para a Copa do Mundo. Estou indo fazer uma temporada na Europa. Graças a Deus, fiz um ótimo resultado, carimbando minha vaga, só esperando a publicação oficial”, finalizou.

Classificação Olímpica do Mountain Bike
Ao todo, os homens terão direito a 50 vagas, sendo que 41 delas serão conquistadas através do ranking da UCI e serão divididas da seguinte forma: os 23 melhores países colocados no ranking mundial se classificarão para o mountain bike nos

Jogos 2016, sendo que, os cinco melhores terão três vagas cada um, os países entre o sexto e 13º lugar conquistarão duas vagas, já aqueles que ficarem entre o 14º e 23º terão uma vaga cada.

Ao grupo feminino serão destinadas 30 vagas, sendo que 25 delas sairão do ranking da UCI. Os oito primeiros países terão direito a duas atletas cada e os nove seguintes, um representante cada. As outras vagas, tanto do feminino quanto do masculino, serão preenchidas através de campeonatos continentais.

Com a realização das Olimpíadas entre os dias 5 e 21 de agosto, a primeira e a segunda etapa da CIMTB Levorin serão decisivas no número de vagas e representantes na modalidade da competição. O ranking olímpico fechará no dia 25 de maio de 2016.

A Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 21ª Edição em 2016. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Audax.

Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais:
Twitter: @CIMTBLevorin
Facebook: https://www.facebook.com/cimtb/
Instagram: @CIMTB
Flickr: www.flickr.com/cimtb
Snapchat: CIMTB
Site: http://cimtb.com.br/

Assessoria de Imprensa
Maritza Borges
press@cimtb.com.br
Tel: 34 9.9986-2851