Notícias

Atletas conquistam 2º vaga nos Jogos Olímpicos através do sistema de ranking

É a 1º vez que país alcança marca para ter dois representantes através da classificação pelo ranking mundial. Quase 30% dos pontos conquistados vieram da CIMTB Levorin

Pela primeira vez na história do mountain bike brasileiro, os atletas conquistaram duas vagas nos Jogos Olímpicos através da classificação pelo ranking mundial. Desde que o Ciclo Olímpico foi aberto, em 2014, os competidores lutam para conquistar os pontos necessários para ser um representante do mountain bike no Rio 2016. Na condição de país sede, duas vagas estavam garantidas, uma para o masculino e outra para o feminino. Porém, o objetivo dos atletas cresceu quando viram a possibilidade de conseguirem a segunda vaga. Com a Copa Internacional Levorin de Mountain (CIMTB Levorin), a competição que mais soma pontos para o ranking da União Ciclística Internacional (UCI) nas Américas, foi possível a realização desta meta. Os convocados para disputar os Jogos 2016 foram Henrique Avancini, Rubens Donizete e Raiza Goulão. Os suplentes são Ricardo Pscheidt e Isabella Lacerda. Confira o critério de convocação.

Crédito: Gladson Gomes

Avancini afirma que CIMTB Levorin é uma grande oportunidade para os brasileiros (Crédito: Gladson Gomes)

 

No sistema de classificação através do ranking para o masculino, países que ficassem entre o 1º e 5º lugar no ranking das nações, teriam três representantes. Entre o 6º e o 13º lugar, dois competidores e do 14º ao 23º, um atleta. O Brasil finalizou em 13º colocação no ranking das nações com 3.583 pontos. Quase 30% dos pontos foram conquistados pelos atletas na CIMTB Levorin. “A CIMTB Levorin é uma grande oportunidade para os brasileiros. Hoje temos provas com classe alta, o que atrai atletas mais fortes. Uma disputa de nível mais alto, junto com a possibilidade de buscar pontos sem ter que investir tempo e recursos, é uma grande vantagem”, afirmou Henrique Avancini.

O atleta contou que viu que seria viável o Brasil conquistar duas vagas nos Jogos 2016 quando terminou a temporada de 2013 em 15º lugar no ranking da UCI. “Era imprevisível, principalmente por que teríamos um conflito de gerações dos mais velhos com os mais novos. Além disso, quando tive uma lesão em 2015, foram quase quatro meses sem nenhuma pontuação significativa. Mas consegui retornar aos bons resultados com constância e contribuir pra segunda vaga”, disse.

Segundo Henrique, esta conquista se deve ao trabalho de equipe feito entre os atletas e Confederação Brasileira de Ciclismo. “De fato é uma grande conquista. É a primeira vez que classificamos dois atletas através do sistema de ranking. Eu fico orgulhoso de ter contribuído pra isso. Eu já tinha uma vantagem suficiente pra estar garantido nos Jogos, mas eu tinha essa meta e sei que seria ótimo pra Confederação e pra nossa modalidade. Além disso, foi uma conquista merecida pois a Confederação fez um bom trabalho junto com o Rubinho e o Pscheidt”, afirmou.

crédito: Fábio Piva

Rubinho diz que começou temporada com baixo rendimento (Crédito: Fábio Piva)

De acordo com a convocação, o segundo representante será Rubens Donizete Valeriano. O atleta irá competir na 3º Olímpiada de carreira e confessa que chegou a pensar que o sonho não seria possível. “Eu comecei a temporada de 2016 com um rendimento muito baixo. Não conseguia desenvolver nas competições e depois, um fisioterapeuta descobriu que eu estava com início de lesões nas duas coxas. Fiz um tratamento intensivo e consegui recuperar. Até agora não caiu a ficha”, disse.

O trio que conquistou a segunda vaga para o mountain bike nos Jogos 2016 se completa com Ricardo Pscheidt. O atleta que participou de uma maratona de competições afirma que está muito feliz em fazer parte desta conquista. “Fiquei muito feliz, mesmo porque eu sei que contribui de forma direta pra isso. No início, quando soltaram o critério que definiu qual o atleta que seria convocado, nesse momento eu estava a 140 pontos atrás do Rubinho que era meu concorrente na vaga Olímpica. Eu decidi fazer as provas, correr atrás das competições e eu fiz uma maratona de competições, também pelo sonho de representar o Brasil. Eu finalizei como o segundo atleta no ranking UCI. Sou o segundo atleta que mais pontuou nesse Ciclo Olímpico. Infelizmente não consegui a vaga, fiquei um pouco chateado, por ser um sonho, mas de qualquer forma eu sei que contribui de forma direta”, afirmou.

Ricardo afirma que espera que a conquista da segunda vaga através do sistema do ranking mundial seja o início de um novo momento para o mountain bike brasileiro. “Nos últimos Jogos Olímpicos, o Brasil sempre ficava no limite ou próximo dele. Ou ficava em 22º ou em 23º, sempre no limite para conseguir uma vaga. Eu, assim como Rubinho, não somos atletas novos. Nestes últimos anos no XCO, eu acho que houve uma evolução tanto para nós como atletas, como no nível do mtb brasileiro. Tomara que seja realmente um marco histórico e que daqui pra frente o Brasil dê mais atenção ao ciclismo e ao mtb e que saibam que tem muito atleta com qualidade e ótimas perspectivas de representar o mtb de forma melhor do que a gente representou. Que os atletas que venham atrás da gente consigam fazer mais que a gente fez”, finalizou.

O organizador da CIMTB Levorin, Rogério Bernardes, afirma que este foi um grande passo no mountain bike brasileiro. O organizador da CIMTB Levorin, Rogério Bernardes, este foi um grande passo no mountain bike brasileiro. “Mais importante do que ter conseguido as duas vagas no masculino, foi ter conseguido através da pontuação. O Brasil está de parabéns. A CBC fez um ótimo planejamento para alcançar este resultado. Além disso, no feminino, a Raiza, Isabella e Vivane também estão de parabéns pelos resultados”, afirmou.

CIMTB - 2016 - foto thiago lemos (2)

Raiza disse que agora irá manter o foco nos Jogos 2016 (Crédito: Thiago Lemos)

Feminino
No feminino, a representante do Brasil nos Jogos Olímpicos será Raiza Goulão. Além de Raiza, também somou pontos para o ranking das nações as brasileiras Isabella Lacerda e Viviane Favery. Dos 4.385 pontos do ranking das nações da mulheres, mais de 15% vieram da CIMTB Levorin. Apesar do feminino ter somado mais pontos no ranking e também ter ficado em 13º lugar, as vagas são distribuídas de forma diferente. Países que ficam entre o 1º e 8º lugar, têm direito a duas participantes, já aqueles que ficam entre 9º e 17º tem direito a uma.

Em 11º lugar no ranking, com 1170 pontos, Raiza irá estrear em Jogos Olímpicos. “A preparação está desde de ano passado, a meta era conquistar a vaga Olímpica. Fiz alguns sacrifícios de correr um grande quantidade de provas para garantir essa vaga já na virada do ano. E isso me deu uma vantagem de pontos e pude entrar 2016 bem mais focada no treino, resultado e performance. Isso foi uma coisa que me ajudou muito e só me motivou mais. A preparação esse ano foi muito boa, eu consegui atingir todas as metas e até superar algumas que a gente tinha estipulado. Isso vem me motivando muito”, afirmou.

No último fim de semana de maio, Raiza esteve na 3º etapa da Copa do Mundo UCI, em La Bresse, na França e conquistou o 17º. Segundo ela, este resultado mostra que Raiza está no caminho certo e que agora é manter o foco. “Tive um resultado muito bom na 3º etapa da Copa do Mundo, na França, e isso me motivou mais ainda. Eu acho que competir na Europa é uma forma de comparar o nível que estamos com o nível das atletas da Europa, pois são as mais fortes e as principais rivais nos Jogos Olímpicos. Então, acho que isso vai ser fundamental. É um ano de foco total, e agora com a convocação é baixar a cabeça nos treinos, não sair do foco e tentar fazer bonito no Brasil”, finalizou.

A Copa Internacional de Mountain Bike comemora a 21ª Edição em 2016. O evento tem patrocínio da Levorin, o pneu oficial da competição, e Co-Patrocinio da Audax.

Acompanhe tudo de um dos principais eventos do mountain bike mundial pelas redes sociais:
Twitter: @CIMTBLevorin
Facebook: https://www.facebook.com/cimtb/
Instagram: @CIMTB
Flickr: www.flickr.com/cimtb
Snapchat: CIMTB
Site: http://cimtb.com.br/

Assessoria de Imprensa
Maritza Borges
press@cimtb.com.br